sexta-feira, 12 de abril de 2013

DESPREGADOR URGENTE: Curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho” é censurado no Acre

Numa recente demonstração de autoritarismo e desrespeito à laicidade do Estado, o premiado curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho” foi censurado no Acre. O filme fazia parte da programação do Cine Educação, projeto voltado à inserção da arte no ambiente escolar. Entretanto, a temática central do filme (o surgimento de uma relação homoafetiva entre colegas de escola, complexificada pela deficiência visual de um deles) desagradou os líderes religiosos locais. Tais líderes, numa atitude absolutamente inaceitável de intolerância, conseguiram proibir a exibição do filme pressionando os políticos locais. Não satisfeitos com essa barbárie, os fundamentalistas homofóbicos conseguiram paralisar o Cine Educação, cujo futuro está agora ameaçado.
O caso já foi notícia em vários canais, como o jornal A Capa e o Cineclick UOL (confira a lista completa no final do post). Uma outra reação de impacto foi carta de repúdio do Movimento Audiovisual Acreano Contra a Censura, com o subtítulo “O ESTADO BRASILEIRO É LAICO!“, que também lista os prêmios nacionais e internacionais que o curta metragem já ganhou. Segundo o Movimento, este é “um dos filmes brasileiros mais premiados dos últimos tempos em vários Festivais de Cinema Nacional e Internacional”.
Assista aqui o filme “Eu Não Quero Voltar Sozinho” , e confira logo abaixo a mensagem da Lacuna Filmes, produtora do curta, na íntegra:>


Queridos amigos e colegas,
No início da semana recebemos a notícia de que a exibição do curta Eu Não Quero Voltar Sozinho, como parte do programa Cine Educação, havia sido censurada no Acre.
O programa Cine Educação, uma parceria com a Mostra Latino-Americana de Cinema e Direitos Humanos, tem como objetivo ”a formação do cidadão a partir da utilização do cinema no processo pedagógico interdisciplinar” e disponibiliza diversos filmes cujos temas englobem os direitos humanos, de modo que professores escolham quais são mais adequados para serem trabalhados em aula.
Na semana passada, no estado do Acre, uma professora escolheu o curta Eu Não Quero Voltar Sozinho e exibiu-o para seus alunos. Para aqueles que não conhecem, a trama narra a história de Leonardo, um adolescente cego que, ao longo do filme, vai se descobrindo apaixonado por um novo colega de sala.
Alunos presentes na exibição confundiram o curta metragem com o “kit anti-homofobia” e levaram a questão aos líderes religiosos, que mobilizaram políticos da região com o intuíto de proibir o projeto Cine Educação como um todo. Nenhum desses representantes públicos deu-se ao trabalho de ir atrás da verdade e descobrir que se tratava de um programa pedagógico com o intuito de levar o debate sobre direitos humanos para a sala de aula. Mais uma vez no Brasil, a educação perde a batalha contra o poder assustador das bancadas religiosas e conservadoras.
Neste momento, o programa Cine Educação está paralisado. Enquanto isso, os secretários de Educação e de Direitos Humanos do Acre estão articulando com o governador a possibilidade de garantir sua continuidade, enquanto os líderes evangélicos forçam o cancelamento definitivo do programa. Pelo que sabemos, mesmo que o programa seja reativado, o curta Eu Não Quero Voltar Sozinho será excluído do catálogo e não mais ficará disponível para que professores o utilizem no debate de questões que envolvem algo tão elementar quanto a sexualidade humana e tão importante quanto a deficiência visual.
De forma arbitrária, em uma república federativa cuja Constituição atesta um Estado laico, a sociedade está sendo privada de promover debates. Como pretendemos que adolescentes consigam respeitar a diversidade e formem-se cidadãos lúcidos, pensantes e ativos se informação, arte e cultura (sem qualquer caráter doutrinário) lhes são negadas?
Eu Não Quero Voltar Sozinho não é um filme proselitista, tampouco ergue bandeiras de nenhuma natureza. É apenas uma obra de ficção amplamente premiada em festivais de cinema no Brasil e no exterior, cujos predicados artísticos e humanos transcendem qualquer crença. Ademais, se assuntos referentes à orientação sexual dos indivíduos e seus respectivos direitos civis estão na pauta do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, por que não debatê-los em sala de aula? Que combate sombrio é esse, que reacende a memória de um obscurantismo Inquisidor?
Produtores do Eu Não Quero Voltar Sozinho
Daniel Ribeiro e Diana Almeida
Abaixo, o curta metragem na íntegra:


Posts e Matérias: Cineclick – UOL: Premiado em Paulínia, filme gay é censurado em projeto educativo
ACapa: Curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho” é proibido no Acre, confundido com kit anti-homofobia
No Ghetto: “Eu Não Quero Voltar Sozinho” censurado no Acre.
Papo de Homem: Dois casos de censura
Anderssauro: Eu Não Quero Voltar Sozinho
Update or die: Eu Não Quero Voltar Sozinho
Gay1: Premiado em Paulínia, curta gay é censurado em projeto educativo
Fonte: Bule Voador.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

"Novo" layout - O Despregador ficou mais bonito!

Agora sim, meu blog tá com cara de blog sério.
Eu escolhi a cor vermelha para chamar a atenção, e a fonte Stencil é uma fonte comumente usada em caixas de madeira. Caixas, prego; prego, despregar; despregar, Despregador. Tudo a ver.

Em breve, mais notícias para despregar as pantomimas que a crentalhada 90% anda martelando na cabeça de vocês. Só não falo dos constantes absurdos do Feliciano, porque os outros já falam, e isso seria chover no molhado.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

"Cabeça Vazia, Oficina do Diabo!"

Quem nunca teve uma vó, tia, mãe ou mesmo professora do Primário que soltou essa pérola de sabedoria em algum momento de sua vida? Conhecimento antigo, que hoje deve estar perdido em algum texto de algum blog obscuro da internet, pra ser mais otimista.

Pois, estamos acompanhando as notícias cada vez mais inflamadas, sobre declarações cada vez mais polêmicas de Marco Feliciano e a sua patota "defensora da Moral e dos Bons Costumes" (Mentchêêêra!), que joga mais gasolina na fogueira, talvez pra ver se consegue fazer a "Fogueira Santa de Israel" maior que a da Universal.

Mas acredite, Feliciano e sua corja não são o mais preocupante dessa esbórnia religiosa toda. O mais preocupante são os "rebeldes sem causa", que veem alguém causando polêmica e, com suas CABEÇAS VAZIAS, simplesmente abraçam a causa do cara sem raciocinar - Afinal, se raciocinassem, eles teriam algo na cabeça além de vento e cabelo - e começam a, apaixonadamente, concordar com tudo o que ele fala, e com tudo que seja ao contrário do que as pessoas que protestam dizem.

Trocando em miúdos, discursos de ódio e morte aos homossexuais e repressão a negros e mulheres já começam a pipocar nas teias da internet de todo o Brasil. Procure, por exemplo, o Yahoo, e ache uma notícia envolvendo o nome de Feliciano. Odes de ódio aos gays são derramadas sem o menor pudor. Atacam gratuitamente Jean Wyllys e Daniela Mercury, prometendo mares de porrada ou chuvas de balas (E não tô falando do doce!), veem no Feliciano o novo Messias e, todo mundo sabe, "Cabeça Vazia, Oficina do Diabo!"

De meros posts carregados de ódio em sites como o Yahoo, para atentados terroristas contra minorias - Que, ironicamente, deveriam ser defendidas na Comissão dos Direitos Humanos, à qual, infelizmente, Marco Feliciano foi posto para presidir - são dois centavos.

Esses cabeças vazias nem evangélicos devem ser, mas precisam de um bode expiatório para depositar a culpa sobre todos os males que assolam o Brasil e o mundo. E, assim como foi com os comunistas e socialistas durante o regime militar, os gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e simpatizantes serão os bodes expiatórios, as novas Bruxas, nesta nova onda de ódio descerebrado e irracional. E teremos uma legislação Ugandesa, para ser bem otimista, graças à bancada evangélica e à parcela da população que possui uma cabeça vazia e apoia essa bancada sem questionar.

E não serão apenas os que possuem conduta sexual diferente da idealizada na Bíblia que serão alvos de ódio por parte dos "evangélicos 90%". Todo e qualquer grupo que não esteja de acordo com o modelo de conduta "cristã" está na mira deles. Isso inclui os ateus, agnósticos, minorias religiosas, minorias étnicas (Sujou de novo, negada!), "vermelhos" (De novo!), anarquistas, punks, hippies (será que ainda existem?), naturistas, roqueiros, tribos jovens em geral, índios, benzedeiras (De novo!), e a longo prazo, professores, cientistas, médicos, católicos e mesmo os evangélicos 10%.

E, se você acha que é impossível um país liberal e tolerante como o Brasil chegar a um nível "afegão"... Veja como era o Afeganistão em 1970, e como é hoje...

terça-feira, 2 de abril de 2013

Conheça alguns pecados graves condenados pela Bíblia, mas os cristãos não ligam

Sempre quando algum cristão fervoroso relaciona a homossexualidade como pecado cita Levítico 18:22: “Não se deite com um homem, como se fosse mulher. Isso é uma abominação” e em Genêsis 19:1-25, onde se narra a destruição de Sodoma e Gomorra por Deus devido a prática do sexo entre os homens.
Já que é para seguir a risca o que diz a Bíblia: Por que os religiosos ardorosos como o Silas Malafaia, Edir Macedo, RR Soares, Marco Feliciano não a seguem?
E isso frequentemente acontece quando o assunto é “Religião e homossexualidade“. Sempre tem alguém que ergue uma Bíblia e cita passagens que condenam o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, como se aquele livro, escrito por homens e modificado por vários povos através dos séculos, de acordo com os interesses de seus adaptadores, fosse o livro mais importante do universo.
Confira a lista de pecados que muitos cristãos comentem, segundo a Bíblia, mas somente a homossexualidade é levada a sério.
- não comer carne de porco (Levíticos 11:07). Tem gente que come no natal com uma maçã enfiada na boca do animalzinho.
- não comer alguns frutos do mar (Levíticos 11:12). Também visto em Levítico 11:10. Já era o camarão à milanesa.
- não comer fruta de uma árvore com menos de três anos (Levíticos 19:23). Como comer antes desse tempo, se a maioria das árvores frutíferas levam mais de três anos para crescerem e dar frutos?
- não fazer cruzamento de raças de animais (Levíticos 19:19). Tadinha da mula.
- não cultivar duas plantas diferentes num mesmo jardim (Levíticos 19:19). Meu bairro vai ficar sem praça.
- não semear a terra mais do que sete anos (Levíticos 25:04). Alguém diz isso aos fazendeiros goianos, mato-grossenses  paulistas, fluminenses, gaúchos, paraenses, pernambucanos...
- não usar uma vestimenta tecida com fios diferentes (Levíticos 19:19). Meu casaco de algodão e poliéster! Vou jogar fora.
- não cortar o cabelo (Levíticos 19:27). Atenção Silas! Largue essa tesoura.
- não raspar a barba (Levíticos 19:27). Só se salva o Henri Cristo.

1. Levítico 25:44 diz que posso ter escravos, desde que sejam comprados em nações vizinhas. Os escravos que o Brasil já teve, um dia, eram africanos. Então os brasileiros daquela época pecaram. Hoje, se escravizarmos argentinos, bolivianos, venezuelanos, uruguaios, colombianos, peruanos, enfim... Tudo certo!
2. Eu gostaria de vender minha filha como escrava, como permite Êxodo 21:7. Qual seria um preço justo por ela hoje em dia? Será que posso parcelá-la no cartão de crédito?
3. Sei que não posso tocar em mulheres enquanto estiverem menstruando (Levítico 15:19-24). Será por isso que minha avó proibia as moças de subiram em árvores quando estavam menstruadas para não apodrecerem os frutos, segundo ela aprendeu na igreja?
4. Quando queimo um boi no altar em sacrifício, sei que isto cria um odor agradável para Deus (Levítico 1:9-24). O problema são meus vizinhos. Eles dizem que o odor não é agradável para eles. Como devo puni-los? Morte, talvez?
5. Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no Sábado, mas Êxodo 35:2 diz claramente que ele deve morrer. Sou moralmente obrigado a matá-lo, ou posso pedir que a polícia faça isto?
6. Sei que comer frutos do mar também é abominação, conforme Levítico 11:10. Mas meu amigo acha que é abominação menor que homossexualidade. Eu não concordo. O que você me diz disso pastores guardiões da Bíblia? Existem “graus” de abominação na Lei de Deus?
7. Levítico 21:16-20 diz que não posso fazer ofertas a Deus se tiver defeito na visão. Admito que usam  óculos o fazem. Minha visão precisa ser 20/20 ou existe alguma tolerância nisso?
8. Muitos amigos homens costumam cortar os cabelos, incluindo em volta das têmporas, apesar de ser expressamente proibido por Levítico 19:27. Como eles devem morrer? (Pastor Marco Feliciano, você está pecando com seu cabelo cortado e alisado a base de gel)
9. Lendo Levítico 11:7-8, aprendi que tocar na pele de um porco morto me torna sujo. Descobri que algumas bolas de futebol são feitas com pele porco. Mas posso jogar se usar luvas?
10. Para quem tem fazenda e planta mais de dois tipos de grão no mesmo campo é pecado, segundo Levítico 19:19. Minha amiga também desrespeita porque ela usa roupas feitas com dois tipos de linha (algodão e poliéster). Meus colegas de faculdade também falam blasfêmias às vezes. É realmente necessário o trabalho de reunir o pessoal da vila (no caso faculdade) para apedrejá-los conforme Levítico 24:10-16?
Curiosamente, o que se observa hoje é que todas estas proibições, com exceção da homossexualidade, foram esquecidas. Corta-se o cabelo, faz-se a barba e come-se carne de porco ou lebre (pois é, lebre também é pecado) como se jamais tivessem sido estas práticas proibidas. Porém, a prática homossexual continua a ser apontada como impura perante os olhos de Deus porque é condenada em ‘levíticos’, não importando as outras proibições, como se estas tivessem sido revogadas sem se especificar onde e de que maneira esta revogação supostamente aconteceu.
Se, como apregoam os fundamentalistas, aquele que não cumpre as determinações de ‘levíticos’ é um pecador, toda população da Terra, inclusive eles, está condenada, pois, dificilmente, nos dias de hoje, alguém deixa de cortar os cabelos por causa da bíblia, cristãos vão à suas igrejas com o corpo tatuado, comem camarão ou carne de porco, usam roupas confeccionadas com fios diferentes.
Certamente, os cristãos ao lerem esse post, darão inúmeras explicações, tais como: naquela época, animais alimentavam-se de ervas venenosas e morriam geralmente cobertos de vermes. Barbatanas e escamas (v.9). Esta proibição abrangia, sobretudo, os mariscos, por se alimentarem de imundícies, tal como sucede com as aves, que se deleitam com carnes em putrefação. As leis de hoje não permitem a venda de animais, que não sejam abatidos em condições apropriadas e após exame médico” (Novo Comentário da Bíblia para justificar o pecado). Os porcos estão incluídos no rol dos animais que se alimentavam e se alimentam de coisas impuras, exceto os que são criados em boas condições de higiene.
Essa é uma das justificativas. Sempre os cristãos citam: naquela época era assim, hoje não é mais. Sinceramente, NAQUELA ÉPOCA a homossexualidade era condenada. Por que continua sendo? Ah, porque sou hétero e posso manter esse quesito. Mas como amo comer frutos do mar, vou arrumar uma explicação para invalidar meu pecado. O pecado alardeado nos textos bíblicos, cometido por evangélicos e católicos são amaciados por suas vontades contemporâneas. Tudo tem uma explicação, desde que o desacerto com Cristo seja prática corriqueira dos ditos ungidos por Deus. Muito bom, excelente...
 
Fonte: Tereza Soutomaior, do blog Horizonte Singular.

sexta-feira, 29 de março de 2013

DESPREGADOR URGENTE! Proposta que enterra o Estado Laico no Brasil pode ser aprovada na Câmara!

Câmara pode aprovar proposta que dá fim ao Estado Laico no Brasil. Comissão de Constituição e Justiça já aprovou permissão para religiosos interferirem nas leis brasileiras

Se é que existe a laicidade no Brasil, onde, pelo menos teoricamente, a religião não interfere no Estado, ela está para ter seu fim. Isso porque na manhã desta quarta-feira, 27 de março, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição 99/11, do deputado João Campos (PSDB-GO / foto abaixo).
joão campos bancada evangélica
Proposta do deputado João Campos (PSDB) põe fim ao estado laico no Brasil

A proposta inclui as entidades religiosas de âmbito nacional entre aquelas que podem propor ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade ao Supremo Tribunal Federal. Ou seja, religiosos poderão questionar decisões judiciais como a legalidade da união estável para casais de mesmo sexo, aprovada no Supremo em maio de 2011.
O texto segue para ser votado em plenário e, se aprovado, segue para votação no Senado Federal. A Ementa da PEC 99/11 versa que caso o texto seja aprovado ele “Acrescenta ao art. 103, da Constituição Federal, o inciso X, que dispõe sobre a capacidade postulatória das Associações Religiosas para propor ação de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade de leis ou atos normativos, perante a Constituição Federal”.

Leia abaixo a matéria da Agência Câmara

CCJ aprova admissibilidade de PEC que autoriza entidade religiosa a questionar lei no STF
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou, nesta quarta-feira (27), a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 99/11, do deputado João Campos (PSDB-GO), que inclui as entidades religiosas de âmbito nacional entre aquelas que podem propor ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Entre estas entidades estão, por exemplo, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil e a Convenção Batista Nacional.
A proposta será analisada por uma comissão especial e, em seguida, votada em dois turnos pelo Plenário.

Autores
Hoje, só podem propor esse tipo de ação:
- o presidente da República;
- a Mesa do Senado Federal;
- a Mesa da Câmara dos Deputados;
- a Mesa de Assembleia Legislativa ou da Câmara Legislativa do Distrito Federal;
- governador de Estado ou do Distrito Federal;
- o procurador-geral da República;
- o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil;
- partido político com representação no Congresso Nacional; e
- confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional.

Fonte: Pragmatismo Político

sexta-feira, 8 de março de 2013

E nomearam uma Raposa pra tomar conta do Galinheiro

Mais ou menos assim, foi a eleição (Apesar dos protestos do povo) do pastor Marco Feliciano para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados.

Nomearem para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos um religioso RACISTA, HOMOFÓBICO e acima de tudo SALAFRÁRIO como Marco Feliciano é, literalmente, colocar uma Raposa pra tomar conta do Galinheiro.


Esse é o cara, que exige o cartão e ainda quer a senha do banco de um PARAPLÉGICO!

LUGAR DE LADRÃO É NA CADEIA!

Depois, os religiosos ficam de mimimi, se dizendo os perseguidos!

O Brasil está de Luto: Morreu a última gota de dignidade deste país.

Um homem que fala que os Africanos descendem de um homem amaldiçoado por Noé devia era ser DENUNCIADO na Comissão de Direitos Humanos, não presidí-la!

Nós, Brasileiros, estamos tolerantes demais. Estamos deixando esses desgraçados pisarem na gente.
Está na hora de tomar uma atitude, e essa atitude tem que ser chocante. Tem que ser como um tapa que chama a pessoa de volta à realidade.

Não são os próprios "cristãos" que dizem: "Se alguma parte do corpo lhes causa escândalo, arrancai-a e atirai-a fora"?